Cinema
Turbilhão de sensações

Turbilhão de sensações

Os dois são bastante conhecidos no universo artístico mundial: Pina Baush e Wim Wenders. Baush reinventou a dança moderna ao incorporar a ela cenas teatrais. Wenders se tornou um dos principais expoentes do que é comum chamar de Novo Cinema Alemão. A união desses dois talentos deu origem ao documentário Pina, que está em cartaz em Maceió, com breve temporada, a partir de hoje.

O longa trata da relação da coreógrafa Pina Baush com a dança e com os profissionais que a rodeiam. Mais do que isso, o documentário mostra como ela consegue aplicar emoção à dança. “Dancem, dancem, senão estaremos perdidos”, resume Pina Baush durante o filme.

O diretor Wim Wenders nos bastidores do filme “Pina”. Expoente do Novo Cinema Alemão, Wenders assina a direção de filmes como Paris,Texas (1984) e Buena Vista Social Club (1999) (foto: divulgação)

O novo filme de Wenders, no entanto, não é a primeira incursão de Pina Baush no cinema. Em 2002, sob o comando de Pedro Almodóvar, a coreógrafa alemã protagoniza a cena inicial do filme “Fale com ela”, apresentando parte de seu espetáculo mais famoso, “Café Müller”.

“Tudo se tornou rotina e ninguém mais sabe porque está usando certos movimentos”, contou Pina Baush em 1978, ano de criação do espetáculo Café Müller. Nele, uma dançarina corre loucamente em um salão repleto de cadeiras e um homem se antecipa retirando os móveis do percurso para que ela não esbarre.

Em uma das tantas belas locações do documentário Pina, a dançarina brasileira Regina Advento (foto:divulgação)

Com depoimentos da coreógrafa e de seus companheiros de profissão, o documentário é uma homenagem póstuma a ela que morreu em 2009, cinco dias após descobrir que estava com câncer. Na época de sua morte, Pina trabalhava em Wuppertal, cidade alemã, que aparece em diversas locações do documentário. Em uma delas, a dançarina Aida Vainieri simula um robô dentro de um monotrilho em movimento cortando a cidade alemã.

Ainda que o documentário contivesse apenas filmagens de coreografias criadas por ela, já valeria uma ida ao cinema.

Foram inclusos, no entanto, gravações em cenários peculiarmente charmosos: sala de vidro, montanha, pontes, porto etc. Além das locações externas, as coreografias dentro de um teatro foram utilizadas. Acompanhados de músicas de Jun Miyake, Caetano Veloso e outros; os dançarinos realizam verdadeiras acrobacias usando apenas as possibilidades de seu corpo. Pina consegue surpreender o público com movimentos  antes despercebidos.

A coreógrafa Pina Baush durante o espetáculo “Café Müler”, criado por ela em 1978 (foto: divulgação)

 

SERVIÇO

O QUE: Pina, de Wim Wenders

QUANDO: De sexta à domingo (23 a 25/03) às 16h50; e de terça à quinta (27 a 29/03) às 17h

ONDE:  Cine Sesi (Rua Dr. Antônio Gouveia,1113, Pajuçara)

QUANTO: Meia-entrada (R$ 5,00) e inteira (R$ 10,00)

Compartilhe

Posts Relacionados

Responder

Seu e-mail não vai ser publicado. Required fields are marked *