Bienal 2013
Laura Muller responde

Laura Muller responde

Uma das atrações mais concorridas da bienal aconteceu na tarde do último sábado (02). O auditório do Centro de Convenções estava lotado para assistir a palestra da sexóloga e jornalista Laura Muller.

Autora dos livros “500 perguntas sobre sexo”, “500 perguntas sobre sexo do adolescente”, “Altos papos sobre sexo – dos 12 aos 80 anos” e “Educação sexual em 8 lições – um guia para professores e pais”, Laura se tornou conhecida em todo país ao aparecer nas madrugadas de sábado respondendo dúvidas sexuais da plateia do programa “Altas Horas”, da Rede Globo

Ao tratar de temas picantes, com leveza e delicadeza, a jornalista falou sobre diversos temas referentes à sexualidade de cada época da vida.

“Sempre me perguntam qual é a idade certa para se iniciar sexualmente. Eu respondo que é quando o jovem se sente preparado, tendo em vista três eixos: a gravidez e como lidar e evitá-la; a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs); e a prática sexual em si, que engloba o afeto, o prazer e a diversidade”, explicou.

Antes de responder as questões feitas pelo público, Laura fez uma breve introdução ao tema.

“Os principais problemas sexuais enfrentadas pelo adulto-jovem são a dificuldade de ereção (ou orgasmo, para as mulheres), ejaculação rápida, a baixa do desejo e a dor durante a penetração. Para buscar a solução desses problemas, é preciso consultar um ginecologista (mulheres) ou urologista (homens), que vai olhar para o organismo; e um psicólogo, que irá focar nas questões emocionais. Portanto, é preciso ter em vista a estrutura biopsicossocial do indivíduo”, disse.

Segundo a sexóloga, a educação sexual é um assunto que pode ser discutido com as crianças com mais de seis anos de idade. Ela destacou ainda que a escola deve desempenhar um papel fundamental nesse sentido.

“Devemos falar sobre sexualidade, em relação a três eixos: o corpo (matiz da sexualidade), a doença (DSTs) e o gênero (identidade sexual e a flexibilização dos papeis)”, explicou ela, que logo procurou esclarecer: “Falar sobre a sexualidade não estimula a iniciação precoce ao sexo. Ao contrário, previne o abuso sexual, pois as crianças estarão bem informadas”.

Ao iniciar o bate-papo com a plateia, Muller não se mostrou intimidada e respondeu as perguntas com precisão. A autora esclareceu que não existe uma frequência sexual exata, “o importante é o casal sentir vontade e desejo”.

photo (5)

Laura Muller do “Altas Horas” tira todas as dúvidas sobre sexo (Foto: Francisco Ribeiro)

Muller revelou as principais dúvidas sexuais dos adolescentes e também alertou aos jovens que querem entrar no mundo adulto da sexualidade. “A palavra de ordem é o respeito aos nossos sentimentos. Até onde a prática não nós fere física e emocionalmente”, pontuou.

Outro tema bastante polêmico levantado por um jovem da plateia foi sobre a “Cura Gay”. Segundo a autora, a homossexualidade não é doença e sim a forma com que a pessoa lida com sua sexualidade.

Para finalizar, Laura reforçou o que para ela significa viver bem a sexualidade. “É preciso respeitar a diversidade. Não existe uma regra. Mas precisamos saber até onde ir e até onde a prática sexual não nos fere”.

Compartilhe

Posts Relacionados

Responder

Seu e-mail não vai ser publicado. Required fields are marked *