Cinema
Cinema alagoano para todos

Cinema alagoano para todos

Há alguns meses, com o fechamento do antigo Cine Sesi Pajuçara – local que abrigava a Mostra Sururu de Cinema Alagoano –  muitos realizadores temiam a possibilidade da não realização de uma edição neste ano. Mas com o visível crescimento e reconhecimento do cinema alagoano, a possibilidade de não haver uma edição da mostra em 2013 foi descartada pelos organizadores.

Considerada a vitrine do audiovisual alagoano, a Mostra Sururu chega, entre os dias 6 e 9 deste mês, à sua quarta edição. E, como um presente para o público, será realizada ao ar livre, na Praça Multieventos, orla da Pajuçara, sempre a partir das 20h.

Em tempos em que as pessoas parecem querer retomar o uso dos espaços públicos nas cidades, a realização da Mostra na Praça Multieventos traz como vantagem a acessibilidade. “Mesmo sendo um evento gratuito, quando realizado em ambiente fechado pode-se restringir de alguma forma a participação do público. Sendo aberto, em um local amplo, de ótima acessibilidade (linhas de ônibus vindas de vários bairros), aliado à ótima qualidade de som e imagem, a Mostra e o público só têm a ganhar”, garante Nina Magalhães, integrante do Coletivo Popfuzz, que está à frente da produção do evento.

Para o cineasta Henrique Oliveira, diretor do filme Ontem à noite, toda exibição pública é uma “faca de dois gumes”. “É uma ideia bacana por agregar novas pessoas e proporcionar uma formação de público por vias diferentes da convencional, da sala de cinema, por exemplo. Mas, ao mesmo tempo, tem as situações externas – como carros de som, buzinas – que pode dispersar o público, fazendo com que o espectador não fique totalmente focado no filme”.

Neste ano as inscrições obtiveram um número recorde, totalizando 49 filmes. Dos inscritos, 22 curtas foram selecionados por membros do Cineclube Projeção para participar da mostra competitiva, concorrendo a um total de R$ 18 mil em prêmios, (R$6 mil a mais que na edição passada).

Além dos troféus Algás de Melhor Ficção e Melhor Documentário, também serão escolhidos os vencedores das categorias  melhor diretor, roteiro, ator, atriz, direção de fotografia, montagem, desenho de som, trilha sonora e direção de arte. Os vencedores serão anunciados na cerimônia de encerramento da Mostra, que será realizada no dia 9 de dezembro.

Como nas edições anteriores, há concorrentes veteranos e já consolidados no cinema alagoano, como o cineasta Pedro da Rocha que, este ano, concorre com seu Sol Encarnado; e iniciantes como a estudante de jornalismo Amanda Duarte, que divide a direção do curta Menina com Maysa Reis. Para Amanda, o evento é o precursor da profissionalização do cinema alagoano.

Cena do filme "menina", de Amanda Duarte e Maysa Reis, estreantes na direção cinematográfica (Foto: Itawi Albuquerque)

Cena do filme “Menina”, realizado pela Universidade Federal de Alagoas e dirigido pelas estreantes Amanda Duarte e Maysa Reis (Foto: Itawi Albuquerque)

“Ainda temos poucos eventos voltados para o cinema. Falo de eventos maiores, que chama a população junto mesmo. A Mostra Sururu é uma oportunidade para os realizadores, inclusive os iniciantes, mostrarem a cara, o trabalho. É gratificante saber que o filme vai ser apresentado à população, junto a tantas outras produções de qualidade daqui” diz.

Para o também estreante Paulo Silver, diretor do curta Lixo, a Mostra Sururu proporciona o diálogo e a troca de experiências entre os realizadores e apreciadores do cinema alagoano. “Creio que a Mostra Sururu seja responsável por apresentar um panorama do que foi o cinema alagoano em 2013. Vem para chamar a atenção para uma produção local, que está viva, mesmo aos trancos e barrancos. E deixa a mensagem de que fazer cinema aqui é possível. Tem que ter vontade, buscar o profissionalismo, organização e respeito, antes de tudo”, revela.

Durante o evento, serão lançados os cinco filmes contemplados pelo Edital Guilherme Rogato de Audiovisual 2013: Futebol na Terra da Rasteira, de Thalles Gomes; Jorge Cooper, de Victor Guerra; Ontem à Noite, de Henrique Oliveira; O Vulto, de Wladymir Lima, e Rua das Árvores, de Alice Jardim, também estão na mostra competitiva.

Cena do documentário "Jorge Cooper", de Victor Guerra. O filme é um dos cinco contemplados com o edital do Prêmio Guilherme Rogato, da Prefeitura de Maceió (Foto: Amanda Guerra Araújo)

Cena do documentário “Jorge Cooper”, de Victor Guerra. O filme é um dos cinco contemplados com o edital do Prêmio Guilherme Rogato, da Prefeitura de Maceió (Foto: Amanda Guerra Araújo)

A Mostra Sururu vai além da exibição de filmes alagoanos e também se preocupa em provocar reflexões e troca de conhecimentos a respeito do audiovisual. Para isso, a Mostra promove três debates que serão realizados no Centro Cultural Arte Pajuçara. “Na segunda edição da Mostra, em 2011, os debates que aconteceram foram esvaziados e isso fez com que a experiência não se repetisse em 2012. Mas na edição de 2013 decidimos reavaliar a proposta por acreditar que os profissionais estão um pouco mais maduros e conscientes da importância deste tipo de atividade”, alega Rafhael Barbosa, cineasta, membro da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas em Alagoas (ABD&C/AL) e um dos realizadores do evento.

Os debates oferecidos este ano são: Cinema e pensamento: o papel da crítica, da autocrítica e da reflexão na construção de um cenário audiovisual, no dia 08/12 às 14h; no dia 09/12, O circuito de festivais e as janelas alternativas para o curta-metragem brasileiro, às 9h, e A ABD&C e a representatividade de Classe no Audiovisual, às 15h.

Além de uma maior quantidade de inscritos e da realização do evento ser em um local público, que alcançará novos espectadores e, possivelmente, futuros apreciadores, outro fato mostra o crescimento da cena: neste ano, a Mostra Sururu está inserida na programação de 198 anos de Maceió, o que demonstra um maior interesse e reconhecimento por parte da esfera pública com a produção e o aprimoramento do que tem sido feito em Alagoas.

Com a diversidade de temas e produções – independentes, com verba pública, incentivo privado e até mesmo universitário – a Mostra Sururu 2013 eleva a produção audiovisual alagoana e leva para o público local novos e diferentes olhares sobre o lugar onde vivemos.

Para maiores informações sobre os filmes participantes e a programação completa do evento, acesse o site: http://www.mostrasururu.com.br/

Compartilhe

Posts Relacionados

Responder

Seu e-mail não vai ser publicado. Required fields are marked *