Artes Visuais, Design
Casa Cor: uma mostra de arquitetura e da arte alagoana

Casa Cor: uma mostra de arquitetura e da arte alagoana

Tintas coloridas nas paredes e no teto dão forma a uma espécie de painel que remete a um fundo do mar psicodélico. O pequeno hall, decorado pelo arquiteto Beto Canavarro, é o primeiro ambiente que os visitantes se deparam ao entrar no antigo casarão situado no Farol, que, no passado, abrigava o Colégio Batista e, hoje, recebe a mostra Casa Cor Alagoas.

Já o responsável pelas ilustrações que cobrem a sala do chão ao teto foi o artista visual Suel. Ele é a prova de que, assim como os arquitetos, os artistas alagoanos comungam das mesmas referências e não só podem, como devem, dividir os mesmos espaços. É com esse propósito que foi aberta na última terça-feira (25), a mais completa mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas.

IMG_4402

Espaço que tem a assinatura do arquiteto Beto Canavarro, conta com ilustrações de Suel (Fotos: Taynara Pretto)

Na maioria dos 48 ambientes, que compõem a Casa Cor Alagoas, há algum elemento assinado por um artista da terra. Seja através do traço e das cores, marca do Suel; passando pelo jovem artista visual Heway Verçosa, que colore um canto do living assinado pelo arquiteto Lúcio Moura; ou através do olhar de fotógrafos como Ricardo Lêdo, e Celso Brandão; e até mesmo pela voz de cantores como Junior Almeida e Wado, que dividem a trilha sonora da recepção office da arquiteta Cleudir Baía.

IMG_4451

Muro externo também é assinado pelo artista Suel. Arquitetura e artes visuais dividem o mesmo espaço na mostra

O espaço assinado por Cleudir é uma mostra da diversidade cultural e artística de Alagoas. “Temos alagoanos incrivelmente talentosos na música, literatura, artes plásticas e visuais e minha intenção, além de expor todos eles, é mostrar que eles podem dialogar muito bem em um espaço físico”, relata a arquiteta.

No local, artistas mais antigos, como o pintor Pierre Chalita, o escritor Lêdo Ivo e a escultora Dona Irinéa, dividem espaço com os “novos” Pedro Lucena e Delson Uchoa. A mistura de arte, design, artesanato e música resultou num ambiente visualmente bonito, que revela o melhor da nossa cultura.

IMG_4497

As famosas esculturas em barro, da mestre artesã dona Irinéia, possuem local de destaque no espaço assinado pela arquiteta Cleudir Baía

A literatura produzida por autores alagoanos também possui seu devido valor na mostra. O escritor Graciliano Ramos foi homenageado com um espaço assinado pelo designer de interiores Fabio Malves e pela arquiteta Marianne Tenório.

Nome escolhido pela própria Casa Cor – juntamente com o do cineasta Cacá Diegues, homenageado com um espaço Home Theater – a Biblioteca Graciliano Ramos retrata, através de detalhes antigos e contemporâneos, um pouco do universo daquele que é considerado um dos maiores escritores brasileiros.

IMG_4428

A máquina de datilografar utilizada por Graciliano quando foi diretor da Imprensa Oficial de Alagoas é usada como peça de decoração

“Tudo foi pensado como sendo um espaço onde Graciliano passava a maior parte de seu dia. A iluminação indireta na mesa, onde ele passaria muito tempo escrevendo, a textura das paredes, que remetem ao passado, à seca. Foi um trabalho norteado por pesquisa e busca de informações sobre o autor, para que pudéssemos homenageá-lo da melhor forma”, disse Fabio.

Em uma das paredes do espaço, uma grande tela do artista Persivaldo Figuerôa retrata o livro Vidas Secas, em outra, um quadro do artista plástico Weber Bagetti que, segundo o designer de interiores responsável pelo espaço, tem como referência o retrato que Graciliano recebeu do pintor e amigo Cândido Portinari.

IMG_4419

O artista plástico Weber Bagetti assina um quadro que tem como referência o retrato que Graciliano recebeu do pintor e amigo Cândido Portinari

Na biblioteca, uma imensa estante abriga objetos pessoais, como a máquina de datilografar utilizada por Graciliano quando foi diretor da Imprensa Oficial de Alagoas, os livros Graciliano Ramos em Palmeira dos Índios e Relatórios de Graciliano Ramos no Diário Oficial, além de todas as edições da revista Graciliano, cedidas pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, numa parceria com a Livraria Leitura.

IMG_4423

Livros e edições da revista Graciliano compõem o acervo da biblioteca montada no local

Segundo ressaltou Glaucia Cavalcante, uma das executivas responsáveis pela Casa Cor em Alagoas, “o espaço também é uma vitrine para os artistas alagoanos, sejam eles populares ou requintados”.

Para os apreciadores de arquitetura, decoração, paisagismo, arte e design, a mostra segue até o dia 11 de maio. Imperdível.

Casa Cor Alagoas (Avenida Aristeu de Andrade, 256 , Farol). Visitação: de 28 de março a 11 de maio, exceto segundas-feiras; das 16h às 22h. Ingresso: diárias a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). É possível a compra de um passaporte por R$100, que vale para os 45 dias de evento.

Compartilhe

Posts Relacionados

Um Comentário

  1. vera lucia de oliveira ramos

    28 março 2014 at 8:50

    boa ótima,

    Reply

Responder

Seu e-mail não vai ser publicado. Required fields are marked *